imap-blog-privacidade

Mediação privada: entenda esse método

A mediação privada é um método de negociação implantado pelo Conselho Nacional de Justiça, com o intuito de reduzir os processos que tramitam no Judiciário, e estimular métodos consensuais.

Com a mediação privada, é retirada a responsabilidade do Estado de resolver um conflito sozinho. Nela, a sentença se torna um consenso, já que são as partes que buscam a solução do problema. Além disso, o processo é resolvido de maneira rápida, pois não entra na esfera judicial. 

Com o auxílio do mediador, figura imparcial e preparada, são definidas alternativas para um acordo agradável entre as partes. A mediação reconstrói a comunicação perdida através de estratégias criativas do mediador. Um dos pontos importantes garantido pela lei da mediação, é a confidencialidade, tudo que é decidido entre as partes fica em sigilo. 

Vantagens da privacidade e mediação 

A mediação privada pode ser utilizar para resolver diferentes tipos de conflitos.  Trata-se uma negociação entre duas partes que entram consensualmente em um processo e o de envolver pessoas físicas ou jurídicas. Dentre suas vantagens estão:

 ·   Autonomia

O processo é voluntário. As partes que entram com a ação e buscam a melhor solução. O resultado ocorre por meio do diálogo.

·   Economia

Um processo normal leva anos até o julgamento. A economia de tempo e dinheiro, deve-se ao fato do acordo não entrar na esfera judicial. 

·   Controle do processo

As partes têm total controle do processo do início ao fim. São elas que decidem a solução e encaminham o acordo.

·   Efetividade no acordo

Devido à decisão consensual na resolução do conflito, a efetividade no acordo é garantida.

·   Comunicação

Para resolver o conflito, as partes precisam restabelecer o diálogo perdido. Com a ajuda do mediador, o diálogo é retomado e as relações restauradas.

 ·   Participação somente dos envolvidos

Como o conflito é entre as partes e o mediador, que ajuda em soluções criativas, não há a participação de terceiros na ação.

·   Sigilo

O que é debatido na reunião entre as partes é protegido por lei. Nada que é debatido é revelado, com exceção do acordo. Isso faz com que seja seguro para as partes demonstrarem seus reais interesses e opiniões.

·   Não judicialização

Como não é necessário envolver o Poder Judiciário, a mediação privada é um método que pode ser solucionado rapidamente. Ainda, o acordo firmado pelas partes possui poder jurídico.

O papel do mediador e do advogado na mediação privada

 Em conversa informal e confidencial, o mediador, encaminha o fluxo do processo. O ponto-chave é chegar a melhor decisão entre as partes.  É papel do mediador buscar por soluções criativas e garantir que o acordo seja justo para ambos. Já o advogado, encaminha o cliente para uma boa solução, além de ajudar na escolha do mediador. Sendo assim, a mediação privada se mostra uma opção para quem precisa resolver algo de maneira rápida e justa.

Se você tem alguma dúvida ou quer saber mais sobre o assunto, entre em contato com o IMAP.

Deseja compartilhar o artigo?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp